Quarto dos dois irmãos ficou muito mais divertido com nova decoração

Compartilhado por dois irmãos de idades bem diferentes, este quarto em Manaus conquistou uma atmosfera lúdica e estimulante – além de muita comodidade!

Texto Mellanie Hasimoto (AM) | Fotos Odair Leal (AM)

Projeto da arquiteta Karina Vieiralves | <i>Crédito: Foto Odair Leal (AM)
Projeto da arquiteta Karina Vieiralves | Crédito: Foto Odair Leal (AM)
Aos poucos, a supervisora de produção Cláudia Mota vem reformando a casa em que mora desde criança – antes com os pais, agora com o marido e os filhos –, na capital amazonense. Como sua única pressa era de oferecer um canto mais aconchegante aos meninos, Victor, de 10 anos, e Eduardo, de 2, foi o quarto deles que ela resolveu inscrever na promoção Minha Casa Renovada. Selecionada, usufruiu da consultoria da arquiteta Karina Vieiralves, também de Manaus, para recriar a área com um projeto caprichado. “Busquei suprir as principais necessidades dos irmãos: enquanto o maior sentia falta de um local adequado aos estudos, o menor precisava de um ambiente propício para brincar e se desenvolver”, relata a profissional.



 
Incentivar a garotada a estudar nem sempre é fácil, mas, com um ambiente propício, será meio caminho andado, como lembra a profissional: “Bancada e cadeira confortáveis são investimentos necessários”. Se, antes, livros e materiais escolares eram guardados de forma desordenada, misturados às roupas da duplinha, agora têm lugar certo. Enquanto o gaveteiro da mesa de estudo abriga a papelada, o restante é exposto em uma irreverente estante bolada pela arquiteta. O móvel é composto de sete nichos de MDF revestidos de laminado melamínico, que variam em tons (amarelo, vermelho e amadeirado) e larguras (cinco peças medem 30 x 15 x 30 cm, e as outras duas, 90 x 15 x 30 cm). Parte da parede exibe revestimento vinílico (Tarkett Fademac). O painel quadriculado (3 x 1,20 m) foi conquistado com a montagem de placas (30 x 30 cm) de três cores, dispostas harmoniosamente. 


O maior desafio foi lidar com a significativa diferença de idade entre as crianças. “Procurei uma linguagem visual balanceada, que nãofosse ingênua para o mais velho, nem sem graça para o menor”, afirma a arquiteta. Como são raros os assuntos que agradam a ambos,a saída foi fugir de uma decoração temática – apenas referências a carros e futebol pontuam os acessórios. A identidade da área foidefinida, principalmente, pelo uso das cores. O azul, que os irmãos adoram, foi mantido nas paredes, mas em uma versão mais suave e moderna (Azul Praia, da Coral). Sobre a base pastel, comparecem detalhes em vermelho e amarelo, dinamizando o conjunto. Eduardo não nega que é amazonense: o pequeno gosta mesmo é de dormir na rede! Usado de vez em quando, o colchão de seu antigo berço ficava encostado na parede e, graças à bicama – com mesinha na cabeceira – (Kappesberg), finalmente pôde ser aposentado.


Quarto depois da reforma. Espalhavam-se por um guarda-roupa e duas cômodas infantis as roupas e os sapatos dos garotos. o problema é que esse mobiliário era dos tempos de bebê do mais velho e já estava pedindo arrego. Com 1,55 x 0,50 x 2,32 m*, o novo roupeiro (Kappesberg) deu conta de substituir os três móveis, cumprindo com louvor as tarefas de acomodar os pertences dos irmãos e colocar ponto final na bagunça. “Fiz questão de uma alternativa durável, por isso escolhi um modelo de aparência neutra, que vai continuar apropriado ao espaço quando os moradores forem adolescentes”, justifica Karina.

Eficiente, a distribuição dos elementos na planta de 9,60 m² foi preservada. Para abrigar a escrivaninha (1), aproveitou-se o posto que ficou livre após a retirada de uma velha cômoda.











18/01/2017 - 13:20

Conecte-se

Revista Minha Casa
Coleção CARAS