Espaço gourmet com tempero caipira

Por aqui, nada de integração com a sala – a cozinha cresceu para os fundos da casa e se converteu em uma área de convivência com direito a ilha e churrasqueira

Minha Casa Digital

Um espaço gourmet com tempero caipira | <i>Crédito: Luis Gomes
Um espaço gourmet com tempero caipira | Crédito: Luis Gomes

O sonho desta família paulistana era se mudar para o interior do estado. Questões profissionais, porém, mantiveram o vendedor Peterson Kleim, sua esposa, a professora de balé Raquel Sarmento, e as filhas, Leticia e Rebeca, na capital.  Assim, quando precisaram construir um novo quarto no sobrado em que moram, eles aproveitaram para repaginar a cozinha, transformando-a em um ambiente mais amplo e funcional, com visual rústico e jeitão de casinha de campo. “Todos ajudaram a escolher cada detalhe, por isso gostamos tanto do resultado! Passou a ser o cômodo mais frequentado da casa, onde cozinhamos diariamente e recebemos os amigos nos fins de semana”, comemora Peterson.

Ambiente novo, ar dos velhos tempos

A laje feita para erguer o dormitório, no segundo piso, se estende sobre a maior parte do quintal – essa foi a área utilizada para aumentar a cozinha. “Nossa única preocupação era que, coberto, o lugar acabasse ficando escuro e pouco ventilado”, conta o morador. O problema foi evitado com a instalação de uma claraboia que percorre o corredor lateral. Suas placas de vidro permitem a passagem da luz, e podem ser mantidas abertas ou fechadas, de acordo com o clima.

Para ser integrada ao novo espaço, a antiga cozinha teve duas paredes derrubadas. Equipada com mesa e cadeiras de madeira, passou a servir como sala de jantar.

Além dos móveis e da decoração, os diferentes revestimentos de tons terrosos também ajudam a criar a atmosfera interiorana. As paredes foram recobertas de tijolinhos, assentados com junta seca e protegidos com uma camada de verniz acrílico no trecho do jantar; no restante, os tijolos receberam uma mistura de cimento, cal e pó xadrez amarelo, e depois foram lixados para conquistar acabamento de aspecto envelhecido.

Esse visual marcado pelo tempo foi adotado em outras superfícies, como o piso, de cimento queimado misturado com corante amarelo, e as paredes do corredor, tingidas com gel envelhecedor (cor Vinho Clássico, ref. 09YR 05/305, da Coral) sobre base branca. Já no jantar, a cor escolhida foi a Ocre, ref. E122, da Suvinil.

Com a ampliação, foi possível instalar uma ilha com fogão, gabinete e bancada para refeições com banquetas. “Desse modo, os convidados podem se sentar para comer, sem necessidade de nos reverzarmos à mesa ou de trazermos mais cadeiras de outros cômodos”, diz Peterson.

Tudo tem seu lugar

O piso original da cozinha, de lajotas, foi mantido para demarcar a nova área de refeições (1).

Alinhadas na mesma parede, a geladeira (2), a pia (3) e a churrasqueira (4) formam um triângulo imaginário com o fogão, na ilha (5). Essa disposição é ideal para favorecer a realização das tarefas na hora de cozinhar.

21/12/2016 - 11:00

Conecte-se

Revista Minha Casa
Coleção CARAS